Até um sprint rápido numa escada pode contar para o total de atividade diária recomendada, de acordo com o The Guardian, que cita o órgão consultivo do Governo para questões de saúde.

As novas recomendações das autoridades britânicas indicam que bastam cinco minutos de exercício para começar a beneficiar a saúde — e não 10 minutos, como referiam as anteriores diretrizes. Para tal, é necessário ter, pelo menos, duas horas e trinta minutos de atividade moderada por semana ou uma hora e um quarto de atividade intensa no mesmo período.

O relatório reitera, de acordo com o jornal britânico, que os adultos devem desenvolver atividade pelo menos duas vezes por semana — o que pode incluir jardinagem, carregar sacos pesados ou fazer ginástica.

Charlie Foster, da Universidade de Bristol, que lidera o conselho de peritos do “chief medical officer” britânico para a atividade física, sublinha que as recomendações para o fortalecimento dos músculos têm sido desprezadas, apesar de serem importantes para contrariar o natural declínio da massa muscular. “É muito mais importante do que pensávamos”, diz Charlie Foster, citado pelo Guardian.

No caso de adultos mais velhos que tenham risco de quedas, são recomendadas atividades como tai chi duas vezes por semana para melhorar a coordenação.

As grávidas e mulheres que tenham sido mães há pouco tempo devem juntar os 150 minutos (duas horas e meia) de exercício moderado semanal ao fortalecimento muscular duas vezes por semana, mas sempre adequando a atividade física à fase de gravidez ou de recuperação em que se encontram. Nestes casos, deve ser evitada atividade intensa.