Uma das maiores produtoras de opiáceos genéricos está perto de chegar a acordo com dois condados do estado do Ohio (Estados Unidos) para evitar enfrentar o primeiro julgamento federal por causa da crise dos opiáceos no país, noticiou o jornal The New York Times. A Mallinckrodt Pharmaceuticals vai pagar 24 milhões de dólares (cerca de 22 milhões de euros) e mais de cinco milhões de euros em medicamentos, incluindo tratamentos contra a dependência.

A crise dos opiáceos matou mais de 702 mil pessoas em todos os EUA entre 1999 e 2017. Há mais de dois mil processos interpostos pelos governos estaduais e locais norte-americanos contra fabricantes de opiáceos por realizarem campanhas enganadoras que minimizaram os riscos do consumo, exagerando as suas vantagens.

O acordo da Mallinckrodt Pharmaceuticals é apresentado seis semanas antes do julgamento que vai determinar quanto é que os réus podem ter de pagar num processo com quase 2.300 casos. Este acordo, no entanto, diz respeito apenas a dois condados, Cuyahoga e Summit, e ainda tem de ser aprovado por estes.

Frank Galluci, advogado pelo Cuyahoga, disse, citado pelo jornal The Washington Post, que o acordo permitiria “conseguir alguns dólares mais cedo do que através do julgamento e começar a combater a epidemia”.

As farmacêuticas Allergan e Endo também já tinham chegado a acordo com os mesmos condados do Ohio: a Allergan dará 4,5 milhões de euros em dinheiro e a Endo nove milhões de euros em dinheiro mais quase um milhão de euros em medicamentos. A Mallinckrodt Pharmaceuticals é acusada de ter dispensado um quarto dos opiáceos usados nestes dois condados do Ohio entre 2006 e 2014. A empresa terá representado 38% das vendas de opiáceos entre 2006 e 2012.

No final de agosto, foi revelado que a Purdue Pharma estaria a negociar um acordo para pagar mais de 10 mil milhões de euros e o tratamento de reabilitação das pessoas que se tornaram toxicodependentes. O plano e o fundo público criado pela empresa e família Sackler que a detém seriam válidos por 10 anos, mas apenas se os procuradores e advogados aceitarem os termos do mesmo. Caso contrário, a empresa ameaça declarar falência.

Segundo a Bloomberg, a Mallinckrodt Pharmaceuticals também estará a considerar declarar falência depois de se ver envolvida nesta acusação com mais de dois mil processos abertos por estados, condados, tribos nativas americanas, entre outros.

Também em agosto deste ano, e numa decisão inédita, a Johnson & Johnson tinha sido obrigada a pagar cerca de 516 milhões de euros, no Oklahoma. A ideia é que este valor possa pagar um ano de tratamentos de desintoxicação e reabilitação naquele estado.