O movimento xiita Hezbollah afirmou na manhã desta segunda-feira que abateu um drone israelita no Líbano. As declarações do Hezbollah surgem pouco mais de uma semana depois de uma troca de mísseis e de acusações com Israel, naquele que foi o primeiro confronto direto entre as duas partes em vários anos.

O objeto, que não foi identificado, estaria a sobrevoar a cidade de Ramyah, no sul do Líbano, informou o Hezbollah num comunicado citado por vários órgãos de comunicação internacionais. O movimento xiita libanês explica que “confrontou” o drone com “as armas apropriadas”. O exército de Israel já confirmou através de um porta-voz que perdeu um drone, mas dizendo que o aparelho “caiu no Líbano durante uma missão de rotina”. A mesma fonte não confirmou o que causou a queda do drone, que descreveu, citado pelo The Guardian, como sendo de “tamanho médio”.

No dia 1 de setembro, o Hezbollah atingiu alvos em Israel com mísseis anti-tanque, na sequência de um conflito que também envolveu aparelhos voadores: uma semana antes, o movimento dissera que Tel Aviv tinha atingido edifícios libaneses com drones armados com explosivos.

“A mensagem é clara: se atacarem, todas as fronteiras, os vossos soldados, colonatos, na fronteira, em profundidade (do território) ou no seu coração, poderão ser ameaçados e visados”, ameaçou então o líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah. Nasrallah assegurou mesmo que o movimento é capaz de retaliar e atingir “em profundidade” o território de Israel em caso de ataque do Estado hebreu.

Israel conduziu vários ataques nos últimos anos contra o movimento xiita libanês e alvos do Irão — país que apoia o Hezbollah — na Síria. O último grande confronto entre o Hezbollah e Israel data de 2006, quando 33 dias de guerra fizeram 1.200 mortos do lado libanês e 160 do lado israelita.