A Procuradoria-Geral da República albanesa pediu esta terça-feira uma pena de prisão até 12 anos para o ex-ministro do Interior da Albânia, Saimir Tahiri, acusado de estar ligado a uma rede de tráfico de canábis em grandes quantidades.

Depois de uma investigação de dois anos, o antigo responsável do governo é suspeito dos crimes de tráfico de droga, corrupção e envolvimento numa organização criminosa.

Saimir Tahiri, de 49 anos, rejeita as acusações e nega qualquer conexão com a suposta rede de tráfico que também levou a detenções em Itália e na Albânia dos supostos líderes.

Os procuradores anunciaram esta terça-feira a sentença de Tahiri, que o ano passado esteve brevemente em prisão domiciliária.

O ex-ministro deixou o cargo no governo em 2017 e abandonou o lugar de deputado em maio de 2018, devido à associação do seu nome à investigação sobre o caso.