Rádio Observador

Música

Brasileiro Tim Bernardes cantou com Salvador Sobral, “sujeito de um astral incrível”, em Lisboa. Veja o vídeo

O compositor e cantor brasileiro, que tem uma digressão em Portugal agendada para este mês, recordou também que foi o vencedor português da Eurovisão que o deu a conhecer a Caetano Veloso.

Youtube / Tim Bernardes

A admiração era pública. Salvador Sobral já tinha confessado anteriormente o seu apreço pelo cantor, guitarrista e compositor brasileiro Tim Bernardes — e, num artigo publicado no jornal Folha de São Paulo, o mestre da canção brasileira Caetano Veloso chegou a revelar que 2018 foi o ano em que português lhe perguntou “se eu conhecia Tim Bernardes”.

Agora, há um vídeo que junta o cantor e vencedor português da Eurovisão ao novo talento da música brasileira, que atuará a 18, 19, 20, 22, 23 e 25 de setembro em Loulé, Lisboa, Santarém, Aveiro, Porto e Braga, respetivamente. Salvador Sobral e Tim Bernardes cantaram “Anda Estragar-me Os Planos”. O tema foi composto por Afonso Cabral (You Can’t Win Charlie Brown e Bruno Pernadas) e Francisca Cortesão (Minta e Bruno Pernadas) para Joana Barra Vaz interpretar no Festival da Canção RTP 2018, mas Salvador Sobral recuperou-o para o seu segundo álbum a solo, Paris, Lisboa, editado já este ano.

Os dois cantores encontraram-se na última visita de Tim Bernardes a Lisboa, segundo revelou agora o cantor brasileiro: “Tive a chance [hipótese] de passar um dia mega agradável com o Salvador Sobral. É, além de um grande cantor português, um sujeito de um astral muito incrível e especial”, apontou, num texto publicado nas redes sociais.

A gente tinha se conhecido brevemente num show meu por lá e dessa vez pudemos por o papo em dia, comer num restaurantezinho bem portuga e inclusive gravar essa session juntos! curiosamente foi o salvador quem apresentou meu som pra o @caetanoveloso (!!). cantamos essa canção linda do disco dele, a versão toda está no meu canal do youtube. espero que curtam! nosso dia alto astral juntos já valeu demais. obrigado, salvador. E setembro estou de volta em Portugal”, concluiu Tim Bernardes.

Já Salvador Sobral partilho um vídeo do momento escrevendo: “Sou um admirador profundo do Tim Bernardes, da sua linda voz, das composições, arranjos e sensibilidade. Adoraria cantar com ele um dia. CHEGOU O DIA!  P.S. Ele vai andar em tournée por Portugal, a partir de 18 de setembro, e recomendo vivamente ir!”.

Há um ano, em entrevista ao Observador, Tim Bernardes descreveu o seu primeiro e até agora único álbum a solo (intitulado Recomeçar e editado em 2017) assim: “É um disco que afunda numa tristeza para poder de alguma forma lavar a alma e aos poucos ir aceitando a ideia de fim e de recomeço. E acho que embora seja um disco com algumas canções que são tristes, mais que isso eu acho que a ideia era fazer um disco bonito. Mais do que triste. Das melodias bonitas, de tentar sublimar algumas tristezas de algum jeito belo”.

Já este ano, Tim Bernardes voltou a lançar um álbum com a sua banda o Terno — considerado pelo Observador “a obra-prima desta geração de bandas brasileiras” e um dos melhores discos do primeiro semestre do ano — e atuou ao vivo no festival NOS Primavera Sound, no Porto, com o grupo. O regresso a Portugal após apenas três meses acontece a solo, para voltar a interpretar as canções solitárias e melancólicas que cantou em Recomeçar depois de o ter feito no passado numa digressão de verão em Lisboa, Setúbal e Espinho e no festival de inverno (lisboeta) Super Bock em Stock.

Nota – Artigo atualizado com inclusão de referência ao concerto de Tim Bernardes em Loulé, a 18 de setembro 

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: gcorreia@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)