Rádio Observador

Séries

“Conta-nos tudo o que te lembrares”, Jesse Pinkman. Há um novo trailer para o filme de “Breaking Bad”

Vai-se chamar "El Camino: A Breaking Bad Movie", chegará à plataforma Netflix a 11 de outubro e vai ter como protagonista o antigo parceiro de Walter White no fabrico de metanfetaminas.

AMC / "Breaking Bad"

“Conta-nos a tua história”, ouve Jesse Pinkman, sentado num sofá e a chorar. É com um momento repescado à série “Breaking Bad” que começa o novo trailer da Netflix para o filme “Breaking Bad: El Camino”, também ele inspirado naquela que foi uma das séries mais aclamadas dos últimos anos. Já se sabia que o novo capítulo da saga “Breaking Bad” teria na personagem interpretada por Aaron Paul o grande protagonista — e que o filme chegaria à plataforma de streaming de cinema e televisão no dia 11 do próximo mês de outubro. Agora, há também novas imagens com memórias do muito que Pinkman viveu ao lado de Walter White, protagonista da série, seu antigo professor e especialista na produção química de metanfetaminas.

São, ao todo, 3 minutos e 17 segundos que recontam todo o drama de “Breaking Bad” através da história de Jesse Pinkman. A descrição do filme, cujo argumento e cuja realização ficaram a cargo de Vince Gilligan, criador de “Breaking Bad”, corrobora aliás que serão as suas vivências — e o que lhe aconteceu depois dos acontecimentos relatados nas cinco temporadas da série — o principal foco deste novo capítulo da saga. Na sinopse, lê-se inclusivamente que “o filme acompanha o fugitivo Jesse Pinkman (Paul) na sua fuga aos captores que o tinham cativo, à lei e ao seu passado”.

Ainda por confirmar está a participação de Walter White (personagem interpretada pelo ator Bryan Cranston) no filme.

Há menos de um mês, em entrevista publicada no The New York Times, o ator Aaron Paul dava conta do seu entusiasmo por participar no filme que prolonga os acontecimentos da série: “É um capítulo de ‘Breaking Bad’ que não sabia que queria. Agora que o tenho, estou tão feliz por existir… não consegui falar durante uns bons 30 ou 60 segundos [depois de ler o guião]. Estava simplesmente perdido nos meus pensamentos. Enquanto tipo que interpretou aquele tipo, fiquei tão feliz por o Vince [Gilligan, criador da série] querer levar-me nesta viagem”.

A série de televisão, exibida em cinco temporadas entre 2008 e 2012, passava-se predominantemente na localidade de Albuquerque, New Mexico. Considerada pela crítica uma das melhores séries das últimas décadas — em especial deste século —, “Breaking Bad” era um dos programas televisivos por cabo mais vistos da televisão americana por altura do final da quinta temporada. Foi, também, uma das mais premiadas dos últimos anos, tendo sido distinguida com 16 prémios Emmy, dois Globos de Ouro, dois prémios Peabody e dois prémios Critics’ Choice, entre outros. Três dos Emmy que distinguiram “Breaking Bad” premiaram precisamente o desempenho do ator Aaron Paul, protagonista neste novo filme, com galardões para Melhor Ator Secundário numa Série Dramática.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: gcorreia@observador.pt
História

O azar do museu Salazar /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

A ignorância e o fanatismo, que estão na origem dos totalitarismos, combatem-se com a verdade e o conhecimento. A ditadura não se vence com a ignorância, mas com a ciência.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)