Sete pessoas morreram esta quinta-feira na sequência da explosão de uma bomba no sudeste da Turquia, anunciaram as autoridades locais, que suspeitam dos militantes do Partido Trabalhista do Curdistão (PKK). Adicionalmente, cerca de dez pessoas ficaram feridas, conforme indicaram fontes hospitalares num primeiro balanço.

A bomba explodiu no distrito de Kulp, junto à província de Diyarbakir, anunciaram as autoridades locais, citadas pela agência France Prece (AFP), que imputaram as culpas aos “membros de uma organização terrorista separatista”, referindo-se ao PKK.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, já prometeu que vão ser disponibilizados todos os meios para deter os responsáveis pelo “ataque terrorista”.

Desde 1984, os conflitos com o PKK já provocaram mais de 40 mil mortos.