Rádio Observador

Viagens

Mercado de Matosinhos transforma-se em sala de cinema de aventura até domingo

O primeiro Festival de Cinema de Aventura chega esta quinta-feira ao Mercado de Matosinhos, onde o jornalismo de viagem, a conservação ambiental e o poder feminino pelo mundo são temas em destaque.

Até 15 de setembro o Mercado Municipal de Matosinhos vai receber a 1ª edição do Festival de Cinema de Aventura

Até dia 15 de setembro, o cinema de aventura vai invadir o Mercado Municipal de Matosinhos, numa iniciativa gratuita conjunta entre a agência de viagens Nomad e a autarquia. “A câmara queria dinamizar o mercado e usamos a viagem como ferramenta educativa e transformadora”, começou por explicar Tiago Costa, da Nomad, em entrevista ao Observador.

Depois de duas mostras de cinema dedicadas às rotas pelo mundo, chegou a vez de inaugurar um festival com uma programação mais profunda e alargada, que inclui a exibição de sete curtas metragens todas as noites no mercado de frescos, com capacidade para acolher 550 pessoas. Durante o dia, o calendário está recheado com oficinas, palestras, conferências, debates e exposições fotográficas em espaços vizinhos, contando com um leque de 46 convidados, entre viajantes, aventureiros e profissionais.

O modelo sentado e formal vai ser intercalado com momentos de pausa para um tipo de conversa mais livre, onde a troca de experiências será uma das grandes valências”, destaca Tiago Costa, da Nomad.

A programação do festival baseia-se em três pilares – conservação ambiental, jornalismo de viagem e o poder das mulheres em viagem — que irão ser desdobrados ao longo das atividades.

Como podemos contribuir para a preservação dos lugares que visitamos? Qual o o impacto da urgência das nossas ações no que diz respeito à conservação ambiental? Vamos também refletir sobre o que é o jornalismo de viagem, que narrativa é essa e que barreiras existem dentro dessa área, e finalmente pretendemos desmistificar a mulher que viaja sozinha, explorando o preconceito que ainda existe sobre a segurança e a condição de género.”

Uma das presenças mais aguardas é a de Nathan Thornburgh – antigo editor e correspondente da revista Time e produtor para a CNN do programa “Anthony Bourdain: Explore Parts Unknown” –, que vem falar da diferença entre o jornalismo tradicional e o jornalismo de viagem. João Garcia, o primeiro português a escalar o Monte Everest, apresentará “Thar-Ua”, um documentário onde é protagonista, já Eduardo Leal, fotojornalista com trabalhos publicados no Washington Post, Time, Al Jazeera, CNN, Bloomberg, The Wall Street Journal e The Guardian, inaugurará uma exposição na Galeria Manifesto, vizinha do mercado, que se prolonga até outubro.

Marta Durán e Tania Muxima vão explicar como é viajar à boleia pelo mundo, já no dia seguinte é a vez de Filipa Chatillon, Berta BB Couto e Ana Mineiro partilharem as suas experiências no feminino em países como o Irão, o Afeganistão ou o Cazaquistão. Há ainda oficinas de fotografia de viagem, com Daniel Rodrigues, de como preparar uma viagem de trekking, com Diogo Tavares, ou como partir à aventura com crianças, com Filomena Moura.

Consulte aqui toda a programação.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Relações

Cuidem dos seus relacionamentos /premium

Ruth Manus

Ao passar ao lado do outro, faça um carinho qualquer. Pegue na mão, toque no ombro, dê um beijo na testa. Mostre que a presença do outro faz diferença. Um cafuné de vez em quando.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)