Rádio Observador

Triatlo

Português vai cumprir 10 Ironman seguidos no desafio mais duro do mundo

Miguel Carneiro vai ser um dos 10 desportistas no mundo a participar no Deca Ultra triatlo, o mais exigente do planeta, com 38 quilómetros de natação, 1.800 de ciclismo e 422 de corrida consecutivos.

Deca Ultra Triatlo tem uma duração de três dias, sendo que 20 é o dia limite para a sua conclusão

Jan Dzban/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Miguel Carneiro vai ser um dos dez desportistas no mundo a participar no Deca Ultra triatlo, o mais exigente do planeta, com 38 quilómetros de natação, 1.800 de ciclismo e 422 de corrida consecutivos, no México.

“O principal desafio é mental, muito psicológico. Vai ser físico durante períodos, mas vai haver alturas em que o corpo nem quer correr, nem andar, nem nadar… nem fazer nada. Só quer descansar e fechar os olhos”, conta, comentando os 10 Ironman que vai cumprir de uma só vez. Em declarações à Lusa, o polícia dos estabelecimentos da marinha, recorda quando, num triplo Iron Man, um amigo correu a seu lado com as mãos nas suas costas “pois estava de olhos fechados e a adormecer”.

O triatleta, de 36 anos, é o único português em competição, num repto que vai decorrer num parque em León, com o segmento de natação a ser feito em piscina de 50 metros, o de ciclismo em circuito de 20 quilómetros e o de corrida em reta de um quilómetro. “A cabeça vai querer ir para a cama descansar e passar lá uma semana e tenho de continuar a nadar, pedalar e correr. Vai ser um desafio muito grande, não sei quanto tempo vou demorar”, reconhece.

A organização dá aos competidores 14 dias — “há limites de tempo para a natação e o ciclismo, mas não quero saber, pois não quero estar perto dele” –, sendo que no fim da primeira semana Miguel Carneiro espera ter a natação e o ciclismo cumpridos, “e provavelmente um bocado da corrida”, se tudo for como espera.

O triplo Iron Man foi a maior empreitada que já assumiu, competindo 51 horas nas quais se permitiu descansar somente dois períodos de meia hora: “Agora vai ser apenas três vezes e pouco mais exigente”. “É mostrar a mim mesmo que quem consegue fazer uma coisa destas consegue fazer qualquer coisa no dia a dia. Sentimo-nos invencíveis, capazes de ultrapassar qualquer adversidade que apareça”, argumentou, considerando que esse é o maior prémio que pode receber.

Miguel Carneiro, natural de Lagos, pratica desporto “desde sempre” e triatlo há 10 anos, sendo que progressivamente vai assumindo missões atléticas cada vez mais complicadas: para uma como esta, reconhece que não há um plano específico. “Diariamente, treino uma, duas ou as três especialidades, mas a preparação física e mental é a que tenho feito ao longo de todos estes anos. Para quando chegar o dia, estar o mais bem preparado possível”, esclareceu.

A ajudá-lo na missão estará a sua mãe, responsável pela comida — “não vou poder parar para cozinhar e sentar-me à mesa, pois terei de comer enquanto pedalo ou corro” –, o amigo Luís, também atleta e especialista nas questões mecânicas, bem como a namorada, igualmente praticante de triatlo longo.

“Vão estar comigo 24 horas por dia, a meu lado. A tratar-me de tudo e de qualquer necessidade que tenha. (…) São fundamentais, mas a cabeça é que tem de conseguir comandar o corpo para fazer os quilómetros até à meta”, concluiu.

Miguel Carneiro, que representa o Grupo Recreativo, Desportivo e Cultural do Ministério da Defesa Nacional e tem o apoio do Estado Maior General das Forças Armadas, parte para o México em 3 de outubro e o Deca Ultra Triatlo tem uma duração de três dias, sendo que 20 é o dia limite para a sua conclusão.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)