A Polícia Judiciária (PJ) deteve no Norte um jovem de 18 anos no âmbito de um processo sobre a sujeição de pessoas fragilizadas a trabalho escravo e à mendicidade que já levou à prisão preventiva dos pais deste arguido.

Em comunicado desta quinta-feira, a Diretoria do Norte da PJ refere que o jovem foi localizado e detido na cidade de Aveiro, “para onde tinha fugido após a detenção dos progenitores”, estando já em prisão domiciliária, sujeito a vigilância eletrónica.

Os pais já tinham sido detidos na última semana de agosto, na zona de Gondomar, com apoio da GNR, sendo que um juiz de instrução determinou que esperassem o desenrolar do processo sujeitos à medida de coação mais gravosa, a prisão preventiva.

O casal e o filho são visados em processo-crime titulado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Gondomar, estando “fortemente indiciados” pela prática dos crimes de sequestro qualificado, tráfico de pessoas para fins de exploração do trabalho, mendicidade e ofensas à integridade física.

As vítimas, especifica a PJ, são um casal com 37 e 43 anos de idade, de nacionalidade portuguesa, “em situação de especial vulnerabilidade social e económica”.

“Estiveram privadas da liberdade ambulatória durante um mês e neste período foram coagidas a trabalhar e a praticar mendicidade sob orientação direta e proveito dos detidos” na área da cidade do Porto, ainda segundo a autoridade policial.