Foi encontrado o corpo de William Moldt, um norte-americano que foi dado como desaparecido em 1997, quando tinha 40 anos de idade. Sabia-se que o homem tinha desaparecido na viagem de regresso a casa, depois de passar algumas horas numa discoteca, mas nunca foi encontrado o cadáver. Até agora: graças a imagens do Google Earth, foi encontrado o carro do homem, submerso num lago da Flórida, anunciaram as autoridades norte-americanas.

Um ex-morador da zona teve a ideia de consultar imagens das imediações onde morava, quando, ao aproximar a imagem do Google Earth, notou um carro submerso na lago vizinho. Contactada pelo ex-morador, a polícia retirou o carro “já muito calcificado” do local e descobriu um corpo, no interior. Foram feitos testes de ADN e confirmou-se era o corpo de Moldt, desaparecido em Lantana, na Flórida, a 7 de novembro de 1997.

Segundo relatório emitido pelo Charley Project, uma base de dados sobre casos não resolvidos nos Estados Unidos, a que a BBC teve acesso, o “veículo estava bem visível nas fotos de satélite do Google Earth desde 2007, mas aparentemente ninguém o notou até 2019”. Na noite em que desapareceu, William Moldt terá saído da discoteca pelas 23h, sem indícios toxicológicos, e ligou à namorada avisando-a que rapidamente iria chegar a casa, revela o Sistema Nacional de Desaparecidos e Não-Identificados norte-americano.

O chefe de polícia de Palm Beach disse à BBC que Moldt, presumivelmente, terá perdido o controlo do veículo e acabou por cair no lago, onde morreu. O responsável acrescentou que durante a investigação inicial do desaparecimento, não existiam “evidências deste acontecimento”. As casas naquela região da cidade de Wellington estavam em construção no ano de 1997, quando Moldt desapareceu, mas o lago já lá estava.