O BMW i3, tal como o conhecemos desde que foi introduzido no mercado em 2013, não terá direito a uma segunda geração. Vai, isso sim, ter direito a uma segunda oportunidade, pois a BMW planeia acabar com a produção do seu primeiro (e único, até agora) modelo 100% eléctrico, mas não pretende abdicar da denominação. Significa isto, segundo as informações avançadas pelo Automotive News Europe, que o próximo BMW i3 perde as formas de monovolume, esperando-se que passe a designar comercialmente a variante a bateria do Série 3.

O director de Marketing do fabricante bávaro, Pieter Nota, avançou ao Financial Times, que a BMW prefere concentrar a sua estratégia de electrificação mais nos segmentos mainstream, ou seja, a planeia canalizar o investimento para versões híbridas plug-in e 100% eléctricas dos modelos que mais vende – uma estratégia lógica, atendendo à média de emissões que os fabricantes estão obrigados a cumprir.

Em carroçaria berlina, é expectável que o futuro i3 se proponha rivalizar com propostas já conhecidas entre nós, nomeadamente o Tesla Model 3 (já em comercialização) e o Polestar 2, cuja entrada em produção, na China, está prevista para o próximo ano. Contudo, para se posicionar como tal, o Série 3 eléctrico teria de apontar a 500 km de autonomia. Um salto considerável mesmo depois do upgrade de acumuladores de que o i3 foi alvo recentemente, passando da anterior bateria com 33,2 kWh de capacidade para uma de 42,2 kWh, o que lhe permitiu ampliar o seu alcance com uma carga completa até aos 260 km (contra os anteriores 200 km).

Apesar do preço elevado (desde 42.100€), mais justificável pelo estatuto premium da marca do que propriamente pelo compêndio tecnológico, o i3 que se encontra actualmente nos concessionários tem granjeado a preferência dos europeus, figurando regularmente nos lugares cimeiros do ranking de vendas desta classe de veículos. De Janeiro a Julho, na Europa, o monovolume a bateria transaccionou um total de 18.220 unidades.

Recorde-se que, até 2023, a BMW pretende lançar 13 modelos puramente eléctricos. O novo i3 integra essa lista e tudo indica que surgirá já para o ano.