Uma mulher que raptou o filho de um ano, da instituição onde ele estava, foi detida no hospital D. Estefânia, em Lisboa. Segundo o comunicado da PSP de Almada, enviado esta quarta-feira, a criança tinha-lhe sido retirada por ordem do tribunal pelas condições em que vivia: a mãe não tem casa, é toxicodependente e a presenta problemas psicológicos, podendo colocar em risco a vida da criança, diz a PSP.

A PSP de Almada recebeu a denúncia do crime de subtração de menor, como é definido pela lei, pelas 17h45 de terça-feira. A polícia temia pela vida da criança e, imediatamente, começou a procurar a mulher nos transportes públicos entre Almada e Lisboa e “em todos os locais que se apurou ser frequentados por ela”, refere o comunicado.

A mulher acabou por ser localizada com o filho às 4h00 de quarta-feira, no Hospital D. Estefânia. A criança tinha um ferimento ligeiro na cara e ficou internada no hospital, embora não corra perigo de vida.

“A progenitora foi detida e será presente ao Ministério Público do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa Unidade Central de Almada”, conclui o comunicado.

Esta é a segunda detenção de subtração de menor feita esta semana pela PSP na área da Grande Lisboa. Segunda-feira, duas crianças, uma com um ano e outra com quatro, foram sequestradas pela mãe biológica e quatro outros homens perto do Jardim Zoológico de Lisboa. Os menores estavam à guarda de uma tia e foram resgatados pela polícia algumas horas depois.