A taxa de inflação anual manteve-se em agosto na zona euro (1,0%) e na União Europeia (UE, 1,4%), com Portugal a registar a única variação negativa (-0,1%) entre os Estados-membros, segundo o Eurostat.

De acordo com o gabinete estatístico europeu, em agosto, a taxa de inflação anual manteve-se face a julho nos 1,0%, mas abaixo da registada em agosto de 2018 (2,1%).

Na UE, os preços também mantiveram o ritmo em alta de 1,4%, igual ao do mês anterior, mas abaixo do registado no mês homólogo (2,2%).

Portugal foi o único Estado-membro a registar em agosto uma taxa de inflação anual negativa (-0,1%), seguido, com os avanços mais ligeiros, da Grécia (0,1%) e a da Espanha (0,4%).

As taxas de inflação anual mais altas foram observadas na Roménia (4,1%), na Hungria (3,2%), na Holanda e na Letónia (3,1% cada). Face a julho, a taxa de inflação anual recuou em nove Estados-membros, manteve-se em seis e aumentou noutros 12.

Ainda de acordo com o Eurostat, a produção na construção aumentou em julho na zona euro e na União Europeia na variação homóloga, mas recuou face a junho, com Portugal a registar, em contraciclo, a terceira maior subida mensal.

Face a julho de 2018, a produção na construção subiu 1,1% na zona euro e 1,7% na União Europeia (UE). Já na variação em cadeia, o indicador recuou 0,7% na zona euro e 0,1% na UE, de acordo com o gabinete estatístico europeu.

Na comparação homóloga, os maiores avanços observaram-se na Roménia (39,5%), na Hungria (32,9%) e na Bulgária (4,3%), tendo sido registados dois recuos: na Eslováquia (-7,7%) e em França (-2,5%).

Face a junho, as principais quebras foram assinaladas em França (-4,2%), na Eslováquia (-2,0%) e na Polónia (-0,6%), enquanto as maiores subidas se verificaram na Hungria (9,6%), na Roménia (4,1%) e em Portugal (2,3%). Face a julho de 2018, a produção na construção avançou 4,2% em Portugal.