O Captur é, desde a sua introdução no mercado, o SUV do segmento B que mais vende no mercado europeu. E a Renault está decidida a manter a liderança com a nova geração, que chegará a alguns países europeus no final do ano, para iniciar o período de vendas entre nós em Janeiro de 2020. Como acontece com o actual Captur, também o novo será proposto com motores a gasolina e a gasóleo, mas a novidade é a introdução de uma versão híbrida plug-in (PHEV), mais económica e menos poluente.

Agendado para a Primavera de 2020, o Captur PHEV vai conjugar um motor a gasolina 1.6 atmosférico com 90 cv, com dois motores eléctricos, um com 70 cv destinado a ajudar a unidade a combustão e outro com cerca de 30 cv, destinado a recarregar a bateria e a fazer arrancar o motor a gasolina. No total são 160 cv, o que deverá assegurar uma interessante dose de dinamismo, mas sempre com ênfase nos baixos consumos.

3 fotos

A bateria destinada a alimentar o motor eléctrico tem uma capacidade de apenas 9,8 kWh, o que promete uma autonomia em modo 100% eléctrico de 45 km, segundo o WLTP, valor que pode ascender a 65 km caso circule apenas em meio urbano. Para conseguir que todos estes motores se associem sem problema, há uma caixa de velocidades CVT, de variação contínua, que tradicionalmente não aprecia acelerações fortes, mas ajuda a manter o motor a gasolina – que não é muito potente, mas foi concebido para gastar o mínimo possível – na faixa de rotações mais eficiente.

Esta mecânica será utilizada igualmente no Mégane PHEV, que também será introduzido em 2020, bem como nas outras marcas da Aliança, da Nissan – para começar, com o Juke – à Mitsubishi.