Claudia Ochoa Felix, a mexicana de 35 anos que alegadamente pertencia ao cartel Sinaloa, liderado pelo narcotraficante El Chapo, foi encontrada morta numa casa em Culiacán, México, no fim de semana. Conhecida como “Kim Kardashian do crime organizado”, a mulher terá liderado a unidade de assassinos do cartel e tornou-se num fenómeno nas redes sociais em 2014 — altura em que começou a publicar fotos onde se exibia com armas cor de rosa e malas caras.

As causas da morte ainda não foram apuradas, mas a imprensa mexicana fala em overdose ou problemas pulmonares. Segundo o New York Post, na noite anterior, Claudia Ochoa Felix terá ido a uma discoteca com um homem, com quem terá passado a noite. Foi este mesmo homem que, de manhã, chamou a polícia.

Quando começou a ficar famosa nas redes sociais, os jornais mexicanos disseram que a mulher era a líder dos Los Ántrax, um ramo do Sinaloa. Na altura, Felix sempre negou a ligação ao mundo do crime organizado e acusou a comunicação social de “mentiras covardes”.

A mexicana era também modelo. Deixa três filhos, do casamento com um traficante de droga conhecido como “El Chavo Felix”.