Houve um aumento de 33% de utilizadores nos Transportes do Porto devido ao programa PART – Programa de Apoio à Redução Tarifária – lançado em abril pelo Ministério do Ambiente. Há mais 275 mil assinaturas nos títulos Andante disponíveis para todos os operadores, como autocarros e metro, “um crescimento visível desde o início do ano mas que se acentuou mais ainda desde a introdução do PART”, disse fonte da Transportes Intermodais do Porto ao Observador, com um crescimento a passar dos cerca de 10% para 14% depois de abril.

42 mil das novas assinaturas são referentes ao metropolitano. Em seis meses, estes aumentos fizeram a Transportes Intermodais do Porto ultrapassar o milhão de utilizadores. O passe do Metro foi o mais requisitado, a reter agora 52% das novas assinaturas.

Com a entrada dos horários de inverno, em setembro, a empresa consegue atingir números que ultrapassam os 260 mil clientes por dia, mais cerca de 35% face ao período homólogo do ano passado. No mês de setembro, com o início das aulas, o crescimento está a ser de mais 20% face a setembro de 2018, embora o crescimento acumulado do ano seja de 14%. “Estamos a operar na máxima força disponível face a disponibilidade de meios”, confessa a Metro do Porto, crescimento que não preocupa a empresa.

O PART – Programa de Apoio à Redução Tarifária, promovido pelo Ministério do Ambiente e disponível desde o dia 1 de abril, trouxe a todos os cidadãos da Área Metropolitana a possibilidade de passar a viajar em toda a rede Andante por 40 euros mensais (ou menos, caso se some algum tipo de desconto) ou em três zonas por um máximo de 30 euros por mês.