O objetivo é mostrar tolerância zero e erradicar o bullying das escolas. Assim, o Ministério da Educação vai lançar um plano de ação e uma campanha intitulada “Escola sem bullying” que, entre outras medidas, prevê que os diretores comuniquem à tutela os casos que ocorram nas escolas, através de uma plataforma. A notícia é avançada pelo semanário Expresso.

Para além deste aspeto, está previsto um conjunto de medidas que ajudam a identificar sinais de alerta, orientam professores e agrupamentos e levam a intervenções mais eficazes. Um dos mais importantes, escreve o semanário, passa por mudar a forma como o problema é encarado nas escolas.

Assim, a tutela sublinha que o bullying tem de ser tratado como uma situação de “violência em meio escolar” e criou para esse efeito um novo campo no sistema de informação de segurança escolar, a plataforma que já usada pelos diretores para reportarem vários tipos de ocorrência. “Desta forma contorna-se o facto de estes casos não serem considerados uma tipologia de crime”, diz o ministério. O novo campo já está na plataforma, mas vai haver um “reforço da sensibilização, junto dos diretores, sobre a importância deste registo, para monitorização do fenómeno”.

Outra das medidas passa pela criação de equipas no interior das escolas que terão a responsabilidade de promover ações de sensibilização e prevenção e que intervenham sempre que detetem problemas concretos.