Um homem de 51 anos foi este sábado detido em Algeciras, no sul de Espanha, acusado de incitamento ao terrorismo e de pertencer ao Daesh [acrónimo em árabe do grupo Estado Islâmico], anunciou fonte policial.

O detido tinha em seu poder documentação e manuais sobre uso de explosivos, veículos e armas relacionadas com atentados, segundo a fonte citada pela agência EFE, e fazia parte de grupos de mensagens jihadistas onde se difundiram ameaças em castelhano contra Espanha.

De acordo com a investigação, o homem demonstrou ter uma intensa atividade nas redes sociais e grupos de mensagens, nas quais o objetivo era acumular conteúdos a favor da organização terrorista Daesh e, entre o material que armazenava e visualizava, estavam vídeos e manuais de tutoriais onde se explicavam como fazer os atentados, nomeadamente na elaboração de explosivos caseiros ou como atacar com armas brancas e veículos.

Chegou a estar integrado em mais de duas dezenas de grupos de mensagens em diferentes plataformas de comunicação.

Um dos exemplos do seu nível de compromisso com as diretrizes da organização é a participação em grupos de caráter muito restrito e a partir dos quais tiveram origem as ameaças mais recentes em castelhano contra Espanha e algumas das suas instituições.

Esta atividade e o fato de não tentar esconder a sua afinidade ao Daesh, exteriorizando abertamente a sua animosidade contra os valores ocidentais, eram um indicativo da ameaça real que representava o detido, referiu ainda a fonte.

Sem trabalho regular, dedicava a maior parte do seu dia a aceder de fora compulsiva a estas redes sociais para descarregar, armazenar e visionar manuais e vídeos e a difundir as suas opiniões contra o Ocidente.

Os seus perfis nas redes sociais e de mensagens mostravam imagens de Abu Bakr Al Baghdadi, líder do Daesh ou de menores de idade armados e vestidos com emblemas da organização terrorista.