Em 2009/10, Falcao chegou ao oitavo jogo pelo FC Porto com seis golos. Na altura, o avançado colombiano igualou o registo de Mihtarski, que em 1991/92 também tinha marcado seis golos em oito jogos, mas ambos eram superados por Pena, que em 2000/01 apontou nove golos nos primeiros oito jogos com a camisola dos dragões. Passaram dez anos desde que Falcao entrou para este top 3 dos mais goleadores à chegada ao FC Porto: e Zé Luís ocupou-se pessoalmente de superar o colombiano e Mihtarski e ficar ali bem perto da marca de Pena.

Com o golo marcado este domingo ao Santa Clara, Zé Luís chegou aos sete golos nos primeiros oito jogos pelo FC Porto e saltou diretamente para o segundo lugar desta lista. Com o cabeceamento à passagem do minuto 15 da receção aos açorianos, o avançado fez o sexto golo na Liga e igualou Pizzi na liderança dos melhores marcadores do Campeonato. Além disso, Zé Luís acabou a partida com sete tentativas de remate — mais uma do que o Santa Clara, enquanto equipa, fez durante todo o jogo.

https://twitter.com/playmaker_PT/status/1175884175947309056

Além de estar a bater recordes a nível interno, a verdade é que o avançado está a construir números que podem muito bem acabar por garantir a melhor temporada de sempre da carreira do cabo-verdiano. Na última época, ao serviço do Spartak Moscovo, Zé Luís marcou 14 golos — apenas o dobro daqueles que marcou em pouco mais de um mês no FC Porto –, e o ano mais goleador do jogador corresponde 2013/14, quando estava emprestado pelo Sp. Braga ao Videoton e apontou 15 golos. Com sete golos antes do final do setembro e a perspetiva de ser o primeiro avançado nas escolhas de Sérgio Conceição, a verdade é que Zé Luís pode começar a pensar desde já na possibilidade de chegar à temporada mais frutífera da carreira.

Zé Luís à parte, o FC Porto chegou à quinta vitória consecutiva na Primeira Liga, sexta para todas as competições, naquela que é já a terceira melhor série da era Sérgio Conceição. Na flash interview, o treinador defendeu que a equipa fez “um jogo consistente”. “Fomos uma equipa madura, que sabia o que queria e que percebeu que tinha que ter uma dinâmica interessante para criar problemas à organização defensiva do Santa Clara. Fizemos dois golos, podíamos ter feito mais, mas foi um bom jogo. É impossível uma equipa controlar, pressionar, ter o jogo na mão durante noventa e tal minutos. O adversário também joga, tem qualidade. Mas o importante é perceber que esta equipa está sempre junta. Nos poucos momentos em que tivemos de defender a equipa esteve junta, estivemos bem organizados”, acrescentou Conceição.

Sobre o facto de todos os avançados estarem a marcar golos — Zé Luís marcou este domingo, Soares marcou a meio da semana com o Young Boys –, o treinador explicou que é “saudável”. “É preciso saber gerir da melhor forma, ver o que o jogo necessita em determinado momento. Se tivesse quatro ou cinco substituições ficava contente, porque há gente que merece jogar. Temos muitos jogos e toda a gente vai ser importante. É essencial que todos estejam comprometidos”, concluiu Sérgio Conceição.