O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, acusou esta segunda-feira o Irão de ser, muito provavelmente, responsável pelos ataques às duas instalações petrolíferas na Arábia Saudita.

“Posso dizer que o Reino Unido atribui ao Irão, com muito alto grau de probabilidade, os ataques à Aramco (a gigante petrolífera saudita)”, disse o líder conservador a bordo de um avião a caminho de Nova Iorque para participar na Assembleia Geral das Nações Unidas.

Durante a Assembleia Geral das Nações Unidas, Boris Johnson deverá encontrar-se com o Presidente iraniano, Hassan Rohani.

No dia 13 de setembro, rebeldes huthis reivindicaram ataques de drones na Arábia Saudita, que resultaram na redução da produção de petróleo no reino em 5,7 milhões de barris por dia, ou seja, 6% da produção mundial.

A Arábia Saudita acusa o Irão de ser responsável pelos ataques. O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, que visitou a Arábia Saudita na quarta-feira, falou em “ato de guerra” por parte do Irão.