O edital da Assembleia de Apuramento Geral das eleições legislativas na Madeira, afixado, mantém a distribuição dos 47 mandatos por cinco forças – PSD, PS, CDS-PP, JPP e CDU –, com os sociais-democratas a obterem a maioria dos deputados.

“Houve alguns votos [nulos] que foram considerados válidos, mas não foi o suficiente [para alterar a distribuição de mandatos], manteve-se tudo na mesma”, afirmou o juiz Bruno Ramalho, presidente da Assembleia de Apuramento Geral, após os trabalhos, que decorreram no Funchal durante toda a segunda-feira.

O PSD venceu as eleições legislativas de domingo na Madeira, mas perdeu a maioria absoluta com que sempre governou a região autónoma, obtendo 56.449 votos e a eleição de 21 deputados.

Estavam inscritos 258.005 eleitores e o número de votantes foi 143.200 (55,50%).

A abstenção cifrou-se em 44,40% (114.805 eleitores).

O PS alcançou 51.207 votos e elegeu 19 deputados, enquanto o CDS-PP obteve 8.246 votos e elegeu três parlamentares. O mesmo número de deputados alcançou o partido Juntos pelo Povo, que reuniu 7.830 votos. A CDU obteve 2.577 votos e um deputado.

“Os trabalhos correram na normalidade, com muita elevação por todos os que estiveram presentes”, sublinhou o presidente da Assembleia de Apuramento Geral.