O Banif vai libertar-se do Banif Brasil até janeiro de 2021. A comissão liquidatária do Banif chegou a acordo com a Siqueira Castro, uma sociedade de advogados especializada na aquisição de ativos de alto risco, que ficou com a opção de compra do Banif Brasil por um real (cerca de 20 cêntimos), durante dois anos, segundo o Jornal de Negócios. Após esse período, o banco madeirense pode vender o banco a esta sociedade, se a compra não tiver sido realizada entretanto. Em ambos os casos, o banco brasileiro sai da esfera do Banif.

Desde 2016 que o Banif tenta vender o Banif Brasil, que detém a 100%. Nesse ano foram detetadas graves dificuldades financeiras no banco brasileiro, tendo sido tomada a decisão de liquidar ou vender a instituição.

Em 2017, dos 60 investidores contactados, só dois mostraram interesse, acabando por desistir. O Banif pediu, por isso, ao Banco Central do Brasil para avançar com a liquidação ordinária do Banif Brasil. Em 2018, a Siqueira Castro pagou ao Banif três milhões de reais (655 mil euros) pelos créditos do banco brasileiro que o Santander não quis comprar. O Banif reinvestiu o montante na compra dos créditos no Brasil à Oitante — que ficou com os ativos do Banif.

Segundo o Negócios, esta operação aconteceu porque a sociedade de advogados exigiu que, para ficar com o Banif Brasil, o banco madeirense tinha de recuperar todos os créditos. O acordo entre o Banif e a Siqueira Castro foi celebrado a 25 de janeiro deste ano. A opção de compra mantém-se pelo prazo de dois anos.