16 de Outubro de 2019 ficará na história da Volvo como o dia em que a marca sueca se estreia nos modelos puramente eléctricos, com o surgimento da variante a bateria do mais pequeno dos seus SUV. Contudo, adverte o fabricante de Gotemburgo, a data não marcará apenas essa viragem, pois o XC40 eléctrico também será “um dos carros mais seguros na estrada, apesar dos desafios levantados pela ausência de um motor de combustão interna”.

Sem levantar a ponta do véu, a responsável máxima pela Segurança na Volvo Cars, Malin Ekholm, assegura que a marca não se poupou a esforços para garantir que o seu histórico neste domínio não seria manchado. Muito pelo contrário, afirma:

O XC40 totalmente eléctrico será um dos carros mais seguros que já construímos.”

Assente na plataforma modular CMA, desenvolvida em parceria com a Geely, o XC40 eléctrico vai montar o pack de baterias no piso do SUV, o que baixa o centro de gravidade e, com ele, reduz as probabilidades de capotamento. Mas, para garantir que mesmo em caso de embate os acumuladores não são afectados, as células estão protegidas por uma espécie de gaiola de segurança em alumínio extrudido, existindo uma zona de deformação à volta da bateria. Por outro lado, a estrutura da carroçaria foi reforçada à frente e na retaguarda, sendo atrás que será montado o motor – se bem que o eixo da frente também poderá acolher uma unidade eléctrica para, assim, oferecer tracção integral.

À promessa de segurança, a Volvo acrescenta ainda uma outra: o XC40 será o primeiro modelo da marca a usufruir do Sistema Avançado de Assistência ao Condutor (ADAS), com software desenvolvido pela Zenuity, joint-venture detida pela Volvo Cars e pela Veoneer. Significa isto que o XC40 eléctrico vai ser o Volvo mais autónomo no portefólio da marca, à conta de um conjunto de radares, câmaras e sensores ultrassónicos.