Duas pessoas morreram em manifestações de estudantes contra uma nova lei na Indonésia que, segundo os críticos, prejudica a agência anticorrupção do país, informaram esta quinta-feira as autoridades locais.

Harry G. Hart, porta-voz da polícia na cidade de Kendari, capital da província de Celebes, no sudeste da Indonésia, disse que uma pessoa sofreu ferimentos no peito e morreu quando a polícia de choque disparou gás lacrimogénio para dispersar centenas de estudantes que atiravam pedras numa tentativa de atingir um edifício legislativo.

O chefe da Polícia Nacional, Tito Karnavian, disse que um homem morreu quando a polícia de choque disparou gás lacrimogénio contra uma multidão que tentou incendiar uma esquadra da polícia na quarta-feira.

Os manifestantes protestam contra a aprovação de uma lei na semana passada que reduz a autoridade da Comissão para a Erradicação da Corrupção, uma agência que luta contra a corrupção no país.

As manifestações, que já fizeram pelo menos 300 feridos, decorrem pelo quarto dia consecutivo em cidades da Indonésia, incluindo Padang, Palu, Garut e Bogor. Os estudantes prometeram voltar às ruas até que a nova lei seja revogada.

Os protestos não estão associados a nenhum partido ou grupo em particular e são liderados por estudantes, que historicamente têm sido uma força motriz de mudança política na Indonésia.