Portugal começou entre a confirmação e a desilusão o Campeonato do Mundo de atletismo, que se vai realizar até dia 6 de outubro em Doha, no Qatar: na qualificação para a final do triplo salto, Pablo Pichardo garantiu vaga direta para a fase decisiva, no domingo, ao contrário de Nelson Évora, eliminado nesta fase de apuramento.

Inserido no grupo A da qualificação, o luso-cubano necessitou apenas de uma tentativa para garantir a qualificação ao chegar logo no primeiro salto aos 17.38, naquela que foi a melhor marca desta fase. Além de Pichardo, apenas Hugues Fabrice Zango conseguiu o apuramento direto, fazendo 17.17 à segunda tentativa.

Já Nelson Évora, a saltar no grupo B de apuramento, teve um concurso em crescendo mas aquém do esperado, melhorando de 16.26 para 16.67 e de 16.67 para 16.80, ficando ainda assim a sete centímetros do último qualificado para a final de domingo (início previsto às 19h45), o turco Necati Er.

Além de Pichardo, Zango e Er, marcarão também presença na final de domingo três dos quatro americanos presentes na disciplina (Christian Taylor e Donald Scott, ambos com 16.99, e Will Claye, com 16.97), o azeri Alexis Copello (16.95), o cubano Jordan Alejandro Díaz Fortun (16.93), o brasileiro Almir dos Santos (16.92), os chineses Yaoquing Fang (16.92) e Ruitung Wu (16.90) e o cubano Cristian Nápoles (16.88).

De referir que a grande surpresa da qualificação acabou mesmo por ser a eliminação de Nelson Évora, que ganhou medalhas em quatro dos últimos seis Mundiais de atletismo: ouro em 2007 (Osaka), prata em 2009 (Berlim), bronze em 2015 (Pequim) e 2017 (Londres). Já Pedro Pablo Pichardo, então como atleta representante de Cuba, tentará somar mais uma medalha em Campeonatos do Mundo depois das pratas em 2013 (Moscovo) e 2015.