Reconhecer e premiar iniciativas que tenham como propósito melhorar a qualidade de vida e promover a inclusão de pessoas em situação de vulnerabilidade social é o grande objetivo dos Prémios ao Valor Social. Esta é já a 15.ª edição do galardão criado pela Fundación Cepsa, mas o objetivo mantém-se o mesmo desde o início: apoiar a integração de minorias ou grupos em situação de exclusão, desenvolver competências, reduzir assimetrias e iniquidades, e proteger de violência, entre outras dimensões. As candidaturas aos prémios, cujo valor ascende a 400 mil euros, decorrem até ao dia 3 de outubro, bastando preencher o formulário online.

Desde que foram instituídos em Portugal, os Prémios ao Valor Social contam já com cerca de 600 candidaturas, tendo apoiado 43 organizações privadas sem fins lucrativos, o que representa mais de 450 mil euros distribuídos por diversas ações sociais. A ligação com o nosso país fica, aliás, bem patente nas palavras de Cláudia Soares-Mendes, Portugal Communication & CR Manager da Fundación Cepsa: “É reconhecido o compromisso da Cepsa com Portugal, quer no âmbito da nossa atividade comercial, mercado em que continuamos a crescer e a apostar, quer no âmbito do nosso compromisso social”. A este propósito, destaque-se que a abrangência destes galardões não se limita a Portugal, incluindo também projetos desenvolvidos em Espanha, Brasil e Colômbia, por serem áreas geográficas onde a Cepsa desenvolve uma atividade relevante e onde tem vindo a estabelecer relações profundas com as comunidades respetivas.

Envolver todos num propósito maior

O objetivo de responsabilidade social da organização é vasto, passando por englobar o maior número possível de pessoas em torno de um propósito comum, explica a responsável: “O nosso voto é que sejamos cada vez mais os que, de forma ativa, fazem parte deste nosso movimento persistente de solidariedade, que também aqui consigamos aplicar os nossos valores de melhoria contínua e liderança, com a segurança e sustentabilidade sempre presentes como pano de fundo”.

Candidaturas abertas

Mostrar Esconder

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As candidaturas aos Prémios ao Valor Social decorrem até às 10 horas do dia 3 de outubro e podem ser feitas através do site da Fundación Cepsa. De acordo com o regulamento do galardão, podem concorrer organizações privadas sem fins lucrativos que persigam fins de interesse geral, legalmente constituídas e que tenham como objetivo a melhoria da qualidade de vida de pessoas em situação de vulnerabilidade social. Em novembro, serão revelados os projetos vencedores, cabendo a decisão a um júri composto por personalidades institucionais oriundos do setor da ação social, bem como por representantes da Cepsa, entre outros.

Seguindo esta filosofia, Cláudia Soares-Mendes realça a importância de os próprios colaboradores da Cepsa serem envolvidos neste propósito maior, razão por que todos os projetos que se apresentam a concurso “devem ser apresentados através de um colaborador, que é madrinha ou padrinho solidário”. Ou seja, todas as iniciativas concorrentes devem estar apadrinhadas por um profissional da Cepsa no ativo, e, caso não haja padrinho, a Fundación Cepsa atribui um, basta que tal seja solicitado. “A solidariedade é um dos cinco valores em que sustentamos a nossa visão de crescimento e, por isso, o nosso compromisso com o desenvolvimento da sociedade é total”, reforça.

Premiados de norte a sul

Na edição do ano passado, foram distinguidas quatro associações de solidariedade social, num total de 65 candidaturas, tendo sido distribuídos 50 mil euros pelas iniciativas selecionadas. O projeto de apoio domiciliário “Ser Mais Família”, desenvolvido pelo Banco do Bebé – Associação de Ajuda ao Recém-Nascido, foi um dos vencedores, com o objetivo de levar apoio a casa das famílias de recém-nascidos com complicações clínicas. Além de uma equipa multidisciplinar voluntária, o programa contempla uma equipa técnica disponível 24 horas por dia, composta por especialistas em fisioterapeuta e psicopedagogia. A intervenção é feita não só com base na situação médica do bebé, mas também em conformidade com o contexto socioeconómico das famílias, já que em muitos casos estas se encontram em risco.

A Associação Algarvia de Pais e Amigos de Crianças Diminuídas Mentais foi também uma das escolhidas pelo júri, tendo visto assim financiado o projeto “Crescer com Sentido(s)”, destinado a levar a terapia multissensorial snoezelen a um maior número de crianças com deficiência mental. Por seu turno, a Agência Piaget para o Desenvolvimento venceu com o projeto “De Pequenino se Constrói o Caminho”, concebido para promover a saúde mental e melhorar a qualidade de vida de crianças e jovens institucionalizados e vítimas de abusos. Já o Serviço Jesuíta aos Refugiados foi a outra organização escolhida, graças ao projeto “Especiarias da Minha Terra”, para capacitação socioprofissional de migrantes e refugiados na área do serviço doméstico e cozinha.

São, pois, muitas as áreas de intervenção suscetíveis de encaixar nas candidaturas aos Prémios ao Valor Social, mas o princípio subjacente que a Fundación Cepsa quer ver garantido é único e transversal: solidariedade.