A companhia aérea Japan Airlines criou uma ferramenta no sistema de reservas on-line que permite aos clientes saberem onde vão estar sentadas crianças, caso queiram ficar o mais longe possível.

“Os passageiros que viajem com crianças com idades entre 8 dias e 2 anos que escolherem o seu lugar no website da Japan Airlines (JAL) verão um ícone mostrado nesses lugares, no ecrã de seleção de lugares”, pode ler-se nas instruções de segurança que estão no site. Mas acrescenta-se: “Isto permite aos outros passageiros saberem que uma criança poderá viajar naqueles lugares”.

A intenção do mecanismo é ordenar os lugares de forma a evitar que crianças não se sentem em lugares proibidos por questões de segurança. Contudo, a utilização prática, mais imediata, que está a ser feita é por viajantes que não querem arriscar fazer uma viagem ao lado de um bebé que possa chorar durante o voo.

Um cliente utilizou o Twitter para fazer alusão ao serviço, elogiando a Japan Airlines e defendendo que todas as companhias fossem obrigadas a prestar esta informação — embora a JAL tenha esclarecido que não dá qualquer garantia de que quem ficar num lugar onde não apareça o ícone não acabe por ficar sentada num lugar perto de uma criança.

O homem acabou por provocar uma reação negativa nas redes sociais.