O antigo Presidente Ramalho Eanes vai representar o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, nas cerimónias de homenagem ao ex-chefe de Estado francês Jacques Chirac, na segunda-feira, confirmou à Lusa fonte do Palácio de Belém.

Ramalho Eanes também representou Marcelo Rebelo de Sousa em agosto, na cerimónia evocativa do 80.º aniversário do início da Segunda Guerra Mundial, em Varsóvia, na Polónia.

As autoridades francesas vão organizar uma cerimónia pública na segunda-feira, em Paris, de homenagem ao ex-presidente Jacques Chirac que morreu na quinta-feira, aos 86 anos.

A cerimónia popular na capital francesa vai decorrer durante o luto nacional decretado pelo Estado em honra do ex-chefe de Estado e antigo presidente da Câmara de Paris.

De acordo com a família, ainda na segunda-feira, a cerimónia fúnebre vai decorrer de forma privada no cemitério de Montparnasse, Paris, onde se encontra sepultada a filha, Laurence Chirac, que morreu em 2016.

Jacques Chirac, que assumiu a Presidência francesa entre 1995 e 2007, encontrava-se doente há vários anos e estava afastado da vida pública.

Os mandatos de Chirac como presidente ficaram marcados pelo “não” à segunda guerra do Iraque, iniciada pelos Estados Unidos em 2003, pelo fim do recrutamento militar, pelo reconhecimento da responsabilidade do Estado francês por crimes nazis na Segunda Guerra Mundial e pelas posições sobre a degradação do ambiente.

Chirac também foi o primeiro presidente francês condenado pela Justiça. Em 2011, Jacques Chirac foi condenado a dois anos de prisão com pena suspensa por um caso de emprego fictício quando era presidente da Câmara de Paris.

Jacques Chirac conseguiu conquistar a Presidência francesa em 1995, depois de duas candidaturas sem sucesso (em 1981 e em 1988).