Portugal mobiliza-se esta sexta-feira pelo clima, com múltiplas iniciativas associadas a uma greve geral, às aulas, ao trabalho e ao consumo, numa tentativa de envolver a sociedade na defesa do planeta, incentivada pelos jovens.

Alunos e professores poderão trocar as aulas por outras atividades planeadas em dezenas de municípios e participar nas manifestações previstas para o período da tarde. Três sindicatos, entre quais dois do setor da educação (Fenprof e STOP) entregaram pré-avisos de greve.

Já o Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas mostrou-se solidário e informou que vai estar presente na mobilização na capital.

Em Lisboa, a concentração está marcada para o Cais do Sodré, de onde os manifestantes desfilarão até ao Rossio. Em Coimbra, a manifestação realiza-se da Praça D. Dinis para a Câmara Municipal e em Ponta Delgada, o protesto realiza-se nas Portas da Cidade.

Cerca de 30 localidades em Portugal aderiram a uma semana de ação global pelo clima, de Arcos de Valdevez a Lagos, passando por Viana do Castelo, Porto, Aveiro, Setúbal e Sines.

Mais de quatro milhões de pessoas desfilaram na sexta-feira passada pelo mundo, em milhares de iniciativas, dando sequência a um movimento inspirado pela ativista sueca Greta Thunberg.

Cerca de 170 países organizaram mais de 6.000 eventos através das redes sociais e iniciativas da sociedade civil.