Meghan Markle prestou homenagem a uma jovem estudante da Cidade do Cabo violada e assassinada na África do Sul. Uyinene Mrwetyana, de apenas 19 anos, foi morta no passado mês de agosto por um funcionário dos correios, crime que alimentou protestos nas ruas devido à violência contra as mulheres naquele país.

View this post on Instagram

“Simi kunye kulesisimo” – ‘We stand together in this moment’ The Duchess of Sussex has tied a ribbon at the site where 19-year-old Cape Town student Uyinene Mrwetyana was murdered last month, to pay her respects and to show solidarity with those who have taken a stand against gender based violence and femicide. Over the last month in Capetown, protests erupted through the streets in outrage over GBV in South Africa. The Duke and Duchess had been following what had happened from afar and were both eager to learn more when they arrived in South Africa. The Duchess spoke to the mother of Uyinene this week to relay their condolences. Visiting the site of this tragic death and being able to recognise Uyinene, and all women and girls effected by GBV (specifically in South Africa, but also throughout the world) was personally important to The Duchess. Uyinene’s death has mobilised people across South Africa in the fight against gender based violence, and is seen as a critical point in the future of women’s rights in South Africa. The Duchess has taken private visits and meetings over the last two days to deepen her understanding of the current situation and continue to advocate for the rights of women and girls. For more information on the recent events in South Africa, please see link in bio. #AmINext

A post shared by The Duke and Duchess of Sussex (@sussexroyal) on

Na fotografia partilhada na conta de Instagram dos Duques de Susssex, Meghan Markle adiciona uma fita a muitas outras, atadas na fachada do edifício dos correios. “Estamos juntos neste momento”, começa por se ler na longa legenda que acompanha a imagem que soma quase meio milhão de gostos, mensagem essa escrita ainda na língua xhosa, um dos idiomas oficiais da África do Sul, pela própria duquesa na fita que juntou ao memorial.

Para a duquesa esta foi uma forma de mostrar solidariedade para com todos aqueles que combatem a violência baseada no género e o feminicídio — uma homenagem “pessoalmente” importante para a duquesa, numa visita que, segundo consta, terá feito de forma privada, à margem do calendário oficial.

Os duques, que desde a passada segunda-feira estão numa viagem oficial de 10 dias pelo continente africano, acompanharam a história de Uyinene Mrwetyana à distância. Entretanto, Meghan falou com a mãe da jovem assassinada para transmitir as suas condolências.

“A morte de Uyinene’s tem mobilizado pessoas por toda a África do Sul na luta contra a violência baseada no género e é vista como um ponto crítico no futuro dos direitos das mulheres neste país. A duquesa participou em visitas e encontros privados nos últimos dois dias para aprofundar a sua compreensão sobre a situação atual e para continuar a defender os direitos das mulheres e das meninas”, lê-se ainda na publicação partilhada no Instagram pelos duques de Sussex.