Desde a evolução das pinturas das cavernas até à pintura digital, da introdução da imprensa de Gutenberg ao editor de texto, a arte e a tecnologia têm evoluído lado a lado ao longo dos tempos.

“A relação entre a tecnologia e a arte é uma relação muito interessante, e eu não acho que elas se oponham de nenhuma forma”, diz-nos Raúl Carvalho, General Manager da Galeria Underdogs, uma das empresas responsáveis pela curadoria de arte do Festival Iminente. “A tecnologia permite aos artistas ter meios para desenvolver outro tipo de técnicas e desenvolver as suas formas de expressão”, adianta.

Foi neste contexto que surgiu a parceria da Samsung com o Festival Iminente, celebrado pelo segundo ano consecutivo, no Panorâmico de Monsanto, em Lisboa. O festival de música e arte por excelência voltou a abrir as portas com o intuito de promover os artistas emergentes dentro das várias subculturas urbanas. Desde o b-boying ao skate e à música de todos os diferentes estilos, o festival pretende dar um espaço a novos projectos que, normalmente, têm pouco espaço de comunicação nos meios institucionais da arte.

Estes artistas “urbano-contemporâneos”, Raúl explica, “são artistas que vivem muito esta cultura da cidade — cresceram nela, expressam-se através dela e, precisamente por esse factor, o seu trabalho representa uma forma de comunicar e de estar enquanto cidadãos na própria cidade”.

Muita desta vida na cidade é também a utilização constante da tecnologia que, segundo o curador, se reflecte bastante nos artistas emergentes: “Vemos uma nova geração de artistas que está a trabalhar muito nesta área das redes sociais, do impacto que têm na nossa sociedade. Como é que nós comunicamos, como é que somos e como nos relacionamos com as redes sociais — e é a tecnologia que nos permite fazer isso”.

Um exemplo deste novo grupo de artistas é Rita Gomes, mais conhecida por Wasted Rita. A artista toma as redes sociais como a sua principal plataforma e foi uma das artistas convidadas para a activação do espaço Samsung, no Festival Iminente.

A marca desafiou quatro artistas a criarem duas obras de arte em tempo real durante o Festival, utilizando um Galaxy Note10 conectado a uma instalação de ecrãs, que permitia ao público assistir à criação da obra e partilhar do processo criativo com o artista.

Para José Correia, Director de Marketing de Produto Mobile da Samsung, esta parceria vem da vontade da Samsung de expandir para novos territórios além do profissional e empresarial, onde a gama Note é bem conhecida, e fortalecer a presença da marca num eixo mais criativo e artístico. “De toda a nossa gama de produtos, se há produto que permite potenciar esse perfil mais artístico e esse pendor mais criativo das pessoas é, claramente, o Note”, explica José, referindo-se ao recém-lançado Galaxy Note10. Este vem equipado com uma caneta, a S Pen, que permite ao utilizador escrever notas e desenhar livremente, ajustando as configurações como a cor e a espessura da tinta, ou editar imagens. O equipamento de fotografia e vídeo tornam este telemóvel uma ferramenta interessante para quem se expressa, por exemplo, através das redes sociais: a câmara Ultra Grande-angular de 16MP e o ajuste automático à luz ambiente tornaram todos os momentos “instagramáveis”, e a câmara de vídeo em 4K UHD, estabilizador e programa de edição nativo trarão qualidade a qualquer vlog.

A Samsung “acredita que a criatividade e o espírito criativo está dentro das pessoas, e aquilo que procura fazer todos os dias é dar as ferramentas para que as pessoas realmente consigam expressar essa criatividade da melhor forma”, garante o responsável da marca. Esta criatividade está também presente no ADN da marca, através da constante inovação dos seus produtos: “A tecnologia de ponta não existe sem criatividade. Nós todos os dias nos desafiamos para criar coisas novas, coisas que muitos julgavam impossíveis. Portanto, se há algo que está na génese daquilo que é a nossa forma de estar no mercado é precisamente isso: a criatividade”.

Para Tiago Silva, Director do festival Iminente, esta parceria foi “bastante orgânica”. Uma vez que a “tecnologia está bem presente em todas as formas de expressão”, acredita que esta é uma parceria natural, da qual tanto o Iminente como a Samsung têm a ganhar. Ambas as marcas partilham um público jovem e bastante exigente com a tecnologia que lhe fazem crer que é uma parceria que tem “tudo para durar vários anos”.