O Índice de Preços no Consumidor (IPC) em setembro fixou-se em -0,1% face a igual mês de 2018, o mesmo valor registado em agosto, segundo a estimativa rápida do Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgada esta segunda-feira. É o terceiro mês consecutivo de descida nos preços na evolução mensal, algo que não acontecia desde 2015 mas que, pelo menos nesta fase, se pode explicar pela volatilidade dos preços da energia e dos alimentos frescos.

O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) situou-se num valor positivo: 0,2%, também um valor idêntico ao do mês anterior.

Já a taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos terá diminuído para -3,9% (quando em agosto, esta taxa tinha sido -3,5%), segundo o INE.

A variação mensal do IPC terá sido 1,1% (em agosto, o valor apurado foi -0,1% e em setembro de 2018 tinha sido 1,1%), estimando-se uma variação média nos últimos doze meses de 0,5%, taxa inferior em 0,1 pontos percentuais ao registado no mês precedente, refere o INE.

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português terá registado uma variação homóloga de -0,3% (que compara com os -0,1% observados em agosto).

Os dados definitivos referentes ao IPC do mês de setembro serão publicados no dia 10 de outubro.