A regulamentação europeia favorece os híbridos e, sobretudo, os híbridos plug-in (PHEV), daí que todos os fabricantes tenham de recorrer a este tipo de motorização para satisfazer os seus clientes, por um lado, e conseguir respeitar o limite de 95 g de CO2/km imposto por Bruxelas, por outro. A Bentley introduz agora a versão PHEV do Bentayga, que já começou a ser fabricada em série.

Denominado Bentayga Hybrid, o novo SUV é descrito pela marca como o primeiro SUV de luxo PHEV e o mais eficiente jamais construído. O motor é um 3.0 V6 sobrealimentado a gasolina, com 340 cv, que depois é associado a uma unidade eléctrica com 128 cv, para oferecer uma potência total de 450 cv e um binário de 700 Nm. O grande trunfo do modelo é a sua bateria, com uma capacidade de 17,3 kWh, o que lhe permite assegurar uma autonomia de 40 km em modo exclusivamente eléctrico.

Com a capacidade de alcançar uma velocidade máxima de 254 km/h e os 0-100 km/h em somente 5,5 segundos, o Bentayga Hybrid anuncia um consumo médio de 3,5 l/100 km, a que corresponde a emissão de 79 g de CO2 por quilómetro, sempre segundo o método WLTP.

É este baixo valor, associado ao estatuto de híbrido, que lhe dará vantagens em mercados como o português. De acordo com a Bentley, aliando a autonomia da bateria ao do depósito de gasolina, o Bentayga PHEV oferece a capacidade de percorrer 747 km sem visitar a bomba de gasolina, ou uma tomada de corrente.

Comparativamente com o Bentayga V8, o mais acessível até aqui de uma gama que incluiu igualmente o SUV com motor W12, o novo Bentayga PHEV perde 36 km/h em velocidade máxima, apenas 1 segundo de 0-100 km/h. Contudo, oferece a possibilidade de rodar 40 km sem emitir ruído ou poluição e evitar o consumo médio de 13,3 l/100 km, bem como as emissões de 302 g de CO2/km. Também o preço é mais aliciante, com o Hibrid a ser proposto por cerca de 181 mil euros, bem abaixo dos 226 mil do Bentayga V8.