O preço para utilizar uma bicleta elétrica da Uber — as Jump — em Lisboa aumentou 5 cêntimos por minuto esta terça-feira (antes de 1 de outubro, cada viagem nas bicicletas da Jump em Lisboa tinha um custo de 15 cêntimos por minuto). Contudo, no mesmo dia, a empresa de mobilidade estreia em Lisboa um plano de subscrição mensal para os ciclistas. A capital portuguesa é a primeira cidade na Europa em que a empresa testa este modelo.

Há dois planos de subscrição. O primeiro, o “Electric”, custa 24,90 euros por mês e permite andar 15 minutos por dia. O segundo, o “Electric +”, custa 39,90 euros por mês e permite utilizar as bicicletas 30 minutos por dia. Segundo a Uber, para os utilizadores mais ávidos deste serviço estes planos podem significar uma poupança entre 65 a 140 euros por mês.

Os planos de subscrição vão estar disponíveis numa fase piloto até 31 de janeiro de 2020 e quem quiser aderir pode fazê-lo até 30 de novembro. Caso o ciclista ultrapasse os minutos diários, a viagem será cobrada ao preço normal.

Os lisboetas viajam cada vez mais com a Jump numa base diária. Decidimos criar estes  planos de subscrição Jump à medida das necessidades de mobilidade de quem vive, trabalha ou estuda em Lisboa. Queremos contribuir para que mais pessoas utilizem opções de mobilidade partilhada e os transportes públicos na cidade”, diz Francisco Vilaça, diretor geral da Jump em Portugal.

As bicicletas elétricas da Jump estão disponíveis em Lisboa desde 28 de fevereiro de 2018. Inicialmente, foram disponibilizadas 750 destes velocípedes na capital. Em maio deste ano, a empresa alargou a frota de bicicletas para 1750, lançando uma nova versão mais moderna prática de utilizar.