Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Melinda Gates prometeu nesta quarta-feira um investimento de mil milhões de dólares (aproximadamente 900 milhões de euros) para promover a igualdade de género em empresas. Melinda gere a Fundação Bill & Melinda Gates juntamente com o marido Bill Gates e é fundadora da empresa Pivotal Ventures. Anunciou o investimento num artigo de opinião publicado na revista Time.

“Quero ver mais mulheres nas posições que tomam decisões, controlam recursos e moldam políticas e perspetivas”, escreve Melinda. “Acredito que valha a pena investir no potencial das mulheres — e nas pessoas e organizações que promovem a vida das mulheres também.”

A Pivotal Ventures vai estender sua receita para “parceiros novos e já estabelecidos” que pretendem empoderar e influenciar a entrada de mulheres no mercado de trabalho. Melinda Gates estabelece três passos para concretizar o desejo. “Primeiro, é preciso desmantelar as barreiras para o avanço profissional das mulheres”, nomeadamente combater o “assédio sexual e a discriminação”, além de “representações estereotipadas que perpetuam uma normatividade de género agressiva”, descreve a empresária.

Em segundo lugar, indica que é preciso “criar aberturas nas indústrias [de tecnologia, media e empregos públicos, normalmente dominada pelos homens] que vão possibilitar a entrada de mulheres com todo o tipo de cúrriculo”. Por fim, cita ser necessário “mobilizar acionistas, consumidores e empregadores a ampliarem a pressão externa nas companhias e organizações que precisam de reformas”.

“A igualdade não pode esperar, e ninguém na posição de atuar deveria também”, continua Melinda, que finaliza o artigo escrevendo: “Sinto-me com sorte de estar viva numa altura em que não precisamos de aceitar mais” um ritmo “glacial” de mudanças.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR