Separar o lixo, enfiá-lo no caixote e ter de, diariamente, empurrá-lo durante a noite até ao local onde os serviços da câmara o recolhem não constitui uma experiência propriamente agradável, sobretudo quando faz frio, chove, ou ambos. Mas eis que alguém pensou em tornar os caixotes do lixo mais inteligentes e autónomos, como se tratassem de um automóvel sem condutor.

Se já existem os frigoríficos inteligentes, que controlam o que temos em casa para comer e beber, e até nos preenchem a lista de compras, por que não elevar a fasquia e dotar de inteligência os caixotes do lixo, aqueles que diariamente temos de colocar na rua a tempo do seu encontro nocturno com o camião da câmara? Foi este pensamento que despoletou a última inovação da Rezzi, que deitou mão à Internet das Coisas para aligeirar a tarefas da família.

Denominado SmartCan, este caixote de lixo é inteligente e autónomo, podendo funcionar em qualquer cidade e em vários tipos de habitação, das vivendas aos prédios. À hora programada, sem esquecimentos ou distracções, o SmartCan sai do seu local habitual, onde recebeu durante o dia todo o lixo da família ou de todos os condóminos, e desloca-se até ao ponto de encontro com os serviços de recolha do lixo.

De momento ainda é um protótipo, mas o princípio baseia-se num sistema motorizado que não integra o caixote, mas que se acopla a ele, permitindo que um só sistema desloque vários caixotes, com o controlo a ser realizado através de uma app. A ideia é tão interessante e tem tanto potencial que já recebeu apoio da Protolabs, em forma de prémio, com a Protolabs e a Rezzi a programarem a chegada do SmartCan ao mercado já em 2020, um caixote do lixo que se comporta como um automóvel 100% autónomo, prescindindo de condutor.