O crédito malparado no balanço dos bancos portugueses caiu 2,4 mil milhões de euros no primeiro semestre deste ano, de acordo com dados esta quinta-feira divulgados pelo Banco de Portugal.

Segundo a publicação Sistema Bancário Português – desenvolvimentos recentes, em junho deste ano o valor bruto de crédito malparado ascendia a 23.447 milhões de euros, o que significa menos 2.409 milhões de euros do que no final de 2018. Já face ao valor de malparado no primeiro trimestre, a diminuição é de 982 milhões de euros.

A diminuição do malparado foi sobretudo no crédito a empresas. Quanto ao crédito malparado líquido de imparidades, este diminuiu no primeiro semestre 1.231 milhões de euros para 11.204 milhões de euros.

“Esta evolução traduziu-se numa redução do rácio de NPL [sigla para a expressão inglesa ‘non-performing loans’] total de 8,9% para 8,3% face ao trimestre anterior”, refere o banco central.

Já o valor do stock (saldo acumulado) de malparado líquido de imparidades passou de 4,3% para 4,0%.

Os maiores bancos portugueses têm vindo a fazer grandes vendas de crédito malparado com o objetivo de acelerar a diminuição, uma vez que estes ativos penalizam muito o balanço dos bancos e o sistema bancário português ainda tem um valor acima da média europeia.

Essa venda de carteiras de crédito vai continuar no resto do ano.