O Model Y, que apenas deverá iniciar a comercialização em final de 2020, foi apanhado a circular sem qualquer camuflagem nas proximidades de Fremont, na Califórnia, junto à fábrica da Tesla.

Destinado a ser fabricado nos EUA, para o mercado interno e europeu, mas igualmente na China, para todo os mercados asiáticos, o Model Y deverá converter-se no modelo da marca americana mais vendido assim que chegue ao mercado, dada a popularidade de que gozam os SUV na generalidade dos mercados, inclusivamente o europeu.

O Model Y recorre à mesma plataforma do 3, produzida numa mistura de alumínio (para reduzir o peso) e aço (para baixar os custos). O pack de baterias é o mesmo, bem como os motores, o que vai permitir à marca reduzir os custos e aumentar as margens de ambos os modelos. Tem previsto oferecer quatro versões, designadamente Standard e Long Range, com apenas um motor traseiro, além das Long Range e Performance, ambas com Dual Motor, para assegurar tracção integral. Com as mesmas capacidades de bateria que o Model 3, o Y deverá oferecer autonomias ligeiramente inferiores devido ao maior peso e um Cx menos apurado, a variar entre 390 e 540 km.

Por dentro, o Y herdará tudo do Model 3, excepção feita para o espaço no habitáculo que, ao ser maior, permite alojar até assentos para sete. De acordo com a Tesla, em Portugal, o Y Standard Range só surgirá em 2022, estando as restantes três versões agendadas para 2021. Por cá, o Long Range tracção traseira já está a ser proposto por 59.000€ (540 km de autonomia, 209 km/h de velocidade máxima e 0-100 km/h em 5,8 segundos), para o Long Range Dual Motor estar à venda por 63.000€ (505 km, 217 km/h e 5,1 segundos) e o Performance Dual Motor por 71.000€ (480 km, 241 km/h e 3,7 segundos).