Ivo Rosa fechou o processo da Operação Marquês, que tem José Sócrates como principal arguido, e tornou o acesso aos autos mais complicado, sobretudo para jornalistas, já que o processo passa a ser mais burocrático e moroso. A notícia é do Correio da Manhã que escreve que, a partir de agora, será necessário que os repórteres realizem um pedido prévio de consulta, por escrito, dirigido ao juiz de instrução cada vez que queiram consultar o processo.

A partir daí, o juiz de instrução pode deferir ou indeferir o pedido, sendo sempre ele a decidir em que dia e hora poderão ser consultados os autos. No entanto, o despacho com esta decisão ainda não foi dado a conhecer às partes, defesas dos arguidos e Ministério Público, escreve aquele jornal.

Esta é a primeira que um juiz toma uma decisão semelhante. No entanto, ressalva o CM, jornalistas que já tenham requerido a consulta dos autos podem dirigir-se às instalações do Tribunal Central de Instrução Criminal, e solicitar os volumes do processo, sem qualquer constrangimento.