Quatro homens sem-abrigo foram encontros mortos na madrugada deste sábado, na zona de Chinatown, um bairro na ilha de Manhattan, em Nova Iorque. Um quinto homem, de 49 anos, foi ainda encontrado com ferimentos graves na cabeça que as autoridades acreditam estar relacionado com o ataque, noticia a CNN.

As vítimas apresentavam lesões na cabeça que terão sido provocadas por um tubo de metal — que já foi apreendido pelas autoridades. A polícia nova-iorquina acredita que os quatro homens foram assassinados enquanto dormiam.

Os quatro cadáveres foram encontrados na madrugada deste sábado, em três locais diferentes de Chinatown, depois de alguém ter feito uma chamada para o 991 (o equivalente ao 112 em Portugal), por volta da 1h49 da madrugada, a denunciar um alegado assalto perto de um prédio no número dois da rua Bowery. Quando chegaram, as autoridades encontraram um homem com traumatismo na cabeça — o óbito acabaria por ser declarado no local.

Enquanto a polícia realizava buscas na área, foram encontrados outros três homens sem-abrigo, já cadáveres, com um traumatismo craniano grave: dois em frente ao número dois da East Broadway e um em frente ao número 17 da mesma rua. Os quatro corpos estavam no máximo a uma distância de dois quarteirões.

Duas testemunhas que assistiram a um dos ataques disseram às autoridades que viram um homem com um casaco e umas calças pretas a agredir um sem-abrigo com um objeto de metal. O suspeito terá depois fugido, mas a polícia acabaria por o encontrar e deter a cerca de 400 metros do local dos crimes. Tem 24 anos e será também um sem-abrigo.

A polícia nova-iorquina esteve nos locais dos crimes ao longo da manhã deste sábado e não conseguiu explicar até ao momento a razões destes ataques. “Por agora, parecem ter sido apenas ataques aleatórios. Não me parece que nenhuma das vítimas tenha sido atacada devido à sua raça, idade ou qualquer coisa dessa natureza”, disse Michael Baldassano, da polícia de Nova Iorque numa conferência de imprensa, pedindo: “Qualquer pessoa que tenha visto alguma coisa ontem à noite, ou mesmo noutros dias antes, ou que tenha sido vítima de um crime como este, entre em contacto com a polícia”.