Depois do segundo lugar no Qatar e da vitória na Argentina, a desistência de Marc Márquez nos Estados Unidos ainda levantou uma (falsa) sensação de que poderia haver algum equilíbrio no Mundial de MotoGP de 2019, não só com a Ducati de Andrea Dovizioso mas também com a Suzuki de Álex Rins a poderem fazer sombra à Honda do espanhol. Puro engano: nas 12 provas seguintes, ganhou oito e foi segundo em quatro. Este domingo, na Tailândia, Márquez sagrou-se campeão mundial pela sexta vez a quatro provas do final do Campeonato, somando já oito títulos entre 125cc (2010), 250cc (2012) e MotoGP (2013, 2014, 2016, 2017, 2018 e 2019).

Numa prova onde travou um aceso despique pelo primeiro lugar com o francês Fabio Quartararo incluindo na última volta onde foi ultrapassado antes de voltar a saltar para a liderança, Marc Márquez terminou a prova com 171 milésimos de segundo do piloto da Yamaha e 1,380 segundos do compatriota Maverick Viñales (Yamaha), que fechou o pódio. O italiano Andre Dovizioso, segundo classificado no Mundial, não foi além da quarta posição quando precisava de acabar à frente do espanhol para adiar o título.

Já Miguel Oliveira, que sentiu algumas dificuldades com a sua moto nos primeiros dias na Tailândia tendo acabado a qualificação no 17.º lugar, teve um bom arranque que lhe valeu o salto para a 14.ª posição, andou em disputa com Aleix Espargaró pelo 13.º posto com posições alternadas até à desistência do espanhol mas foi perdendo ritmo nas últimas oito voltas, sendo superado por Cal Crutchlow, Jack Miller e Andrea Iannone até ao 16.º lugar com que finalizou a corrida, fora dos pontos depois do 13.º posto em Aragão na última prova.

Assim, o piloto português da KTM mantém o 17.º lugar no Mundial de MotoGP com 29 pontos, a quatro de Iannone (Aprilia) e a cinco de Pecco Bagnaia (Ducati), com quem Miguel Oliveira discutiu no ano passado o título em Moto 2 até ao final. O Mundial, que está agora na reta final, regressa no próximo dia 20 com o Grande Prémio do Japão, antes das passagens do Campeonato por Austrália, Malásia e Valência.