O reator II da central nuclear espanhola de Almaraz iniciou esta segunda-feira uma paragem de 34 dias para fazer trabalhos de manutenção e realizar uma recarga de combustível, informou a empresa em comunicado de imprensa.

“Os trabalhos correspondentes à 25.ª recarga de combustível” vão permitir “iniciar um novo ciclo de operações”, segundo a nota de imprensa.

Os proprietários da central nuclear espanhola de Almaraz chegaram no início do corrente ano a um acordo com o Governo espanhol para continuar a atividade da central até 2028.

Segundo o compromisso, Almaraz continuaria a produzir energia elétrica por mais sete anos (2027) na unidade (reator) I da central e oito anos (2028) na II.

Para fazer esta recarga, a central vai receber a assistência adicional de 1.200 trabalhadores de 70 empresas de serviços que “receberam a formação adequada” para “evitar o erro humano na execução dos trabalhos programados”.

A operação de recarga terá uma duração de 34 dias nos quais serão realizadas “cerca de 10.200 atividades”, entre as quais está a “implementação de 33 modificações de desenho”, estando previstos trabalho nos sistemas primário e auxiliares, no turbo-grupo, em turbinas e bombas auxiliares e em sistemas de salvaguarda.

A empresa sublinha que a unidade II da central “completou seis anos sem registar nenhuma paragem automática” do reator e alcançou “os seus melhores dados” em termos de dias ligado à rede elétrica nacional: 512 dias ininterruptos.

As duas unidades da Central Nuclear de Almaraz tiveram uma produção conjunta de 8.991.161 MWh (megawatts) no primeiro semestre de 2019, tendo a produção bruta de eletricidade correspondente à unidade I sido de 4.500.109 MWh e a correspondente à unidade II de 4.491.052 MWh.

A central nuclear de Almaraz situa-se a cerca de 100 km de Portugal, numa das margens do rio Tejo.