Foi a sondagem da Pitagórica a que mais vezes se aproximou dos resultados finais verificados este domingo nas eleições legislativas. Apurados todos os votos, a sondagem encomendada pela JN, TVI e TSF foi a mais precisa em três dos seis partidos que já tinham assento parlamentar — PSD, CDS e PAN. A Aximage aproximou-se mais dos resultados do PS e da CDU. O resultados do Bloco ficaram mais próximos dos previstos pela Eurosondagem.

De acordo com o estudo da Aximage divulgado a 3 dias das eleições, o PS terminaria com 36,95% dos votos. Os resultados finais foram de apenas menos 0,3 pontos percentuais em relação ao previsto: 36,65%. Ainda assim, todas as sondagens apontaram para uma vitória dos socialistas sem maioria absoluta.

Já relativamente ao Partido Social Democrata (PSD), foi o estudo da Pitagórica — após uma média dos 14 dias de sondagem — que conseguiu prever um resultado mais próximo daquele que o partido liderado por Rui Rio teve. O resultado final dos sociais democratas foi de 27,90%. A Pitagórica tinha previsto um resultado apenas 0,28 pontos percentuais abaixo disso.

Quanto ao Bloco de Esquerda, o estudo que mais se aproximou dos resultados globais do partido de Catarina Martins foi a Eurosondagem, que atribuiu 9,6% das intenções de voto aos bloquistas. Feitas as contas após a ida às urnas, o Bloco conquistou 9,67% dos votos — ou seja, apenas 0,07 pontos percentuais acima do que tinha sido previsto.

[Começa agora a prova dos nove. O filme da noite eleitoral]

Quanto à CDU, que baixou para 6,46% dos votos neste domingo, a sondagem que mais se aproximou foi a da Aximage, que contabilizou uma intenção de voto de 6,7%. Este valor está a uma diferença de 0,24 pontos percentuais dos números reais.

No caso do CDS, que conquistou 4,25% dos votos, foi a previsão da Pitagórica a mais certeira para o partido de Assunção Cristas. A sondagem previu que 4,43% dos votos seriam para os centristas — algo que ficou a 0,18 pontos percentuais dos valores reais, um pouco mais baixos do que indicam as previsões.

Quanto ao PAN, que até agora era o partido mais pequeno no Parlamento, foi uma vez mais a sondagem da Pitagórica a mais precisa. O partido de André Silva arrecadou 3,48% dos votos, enquanto as previsões deste estudo apontaram para uma intenção de voto de 3,28%. É uma diferença de 0,20 pontos percentuais.

A sondagem da Aximage para o Jornal Económico apontava que o Livre e o Chega conquistariam, cada um, um deputado no Parlamento. Já a sondagem da Católica indicava que seria a Iniciativa Liberal a alcançar um lugar na Assembleia ao lado do Livre. No fim, os três partidos acabaram por conseguir um assento parlamentar.

As projeções eleitorais das televisões acertaram nos principais intervalos de votação, com as sondagens da RTP e da CMTV mais próximas dos resultados finais. Em todas as projeções emitidas às 20h de domingo, o PS foi dado como vencedor das legislativas, com intervalos entre os 34% e os 40%, quando o resultado final se situou nos 36,6%.

A sondagem divulgada pela RTP apontava o PS com um intervalo entre os 34% e os 39%, enquanto a projeção da CMTV dava um valor mais preciso de 36,3%. Mais otimista, a projeção da SIC ainda admitia uma maioria absoluta para o PS, podendo chegar a eleger 117 deputados, num intervalo de resultados entre os 36% e os 40%, mas esse cenário mais favorável para os socialistas não se verificou.

A projeção da CMTV voltou a ser certeira nos resultados do PSD, tendo apontado para 27,9%, o resultado exato que o partido apresentou. Todas as projeções emitidas pelas televisões antes de conhecidos os primeiros resultados eleitorais acertaram igualmente nas previsões de eleição de um deputado para os partidos Iniciativa Liberal, Livre e Chega.