A Comunidade Intermunicipal do Douro (CIM Douro) anunciou que aderiu esta terça-feira, em Bruxelas, à Aliança para a Coesão (#CohesionAlliance), que reivindica a continuidade de uma política de coesão da União Europeia “forte e eficaz” após 2020.

A CIM Douro, que representa 19 municípios e mais de 200 mil habitantes, disse, em comunicado, que é “a primeira comunidade intermunicipal portuguesa a efetuar a adesão a esta coligação”.

A #CohesionAlliance junta cerca de 800 entidades, entre governos nacionais, regionais e locais, organizações não governamentais, escolas e universidades, que “reivindicam a continuidade de uma política de coesão da União Europeia (UE) forte e eficaz no período após 2020”.

A adesão a esta aliança foi assinada pelo presidente da CIM Douro, Carlos Silva Santiago, na sede do Comité das Regiões Europeu, em Bruxelas, Bélgica.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ao presidente do Comité das Regiões Europeu, Karl-Heinz Lambertz, Carlos Silva Santiago destacou “a importância que a política de coesão da UE tem, para o território do Douro, na redução das disparidades regionais”.

O também presidente da Câmara de Sernancelhe disse ainda desejar “que mais regiões e municípios se unam a esta iniciativa que vem recuperar a verdadeira essência do que significa a UE”.

A Aliança para a Coesão tem como principal “desiderato que o orçamento da UE, após 2020, torne a política de coesão mais forte, mais eficaz, visível e disponível para todas as regiões da União Europeia”.

A comunidade intermunicipal salientou que, atualmente com “um terço do orçamento” da UE, a política de coesão “reduz as disparidades regionais, cria empregos, abre novas oportunidades de negócios e aborda questões globais como mudanças climáticas e migração”.

A CIM Douro referiu ainda, no comunicado, que “esta política entra agora num momento decisivo, tendo em conta as negociações do ‘Brexit’, o que implicará não só uma redução de recursos, mas também uma redistribuição dos mesmos, e o arranque do processo de planificação do próximo quadro financeiro plurianual, que entrará em vigor a partir de 2021”.

A reunião desta terça-feira, entre os elementos da CIM Douro e o presidente do Comité das Regiões Europeu, inseriu-se na Semana Europeia das Regiões e Municípios.

Este comité é um órgão consultivo composto por representantes eleitos de autoridades regionais e locais dos 28 países da UE.