Um empresário de 73 anos e identificado como Daniel B. está a ser acusado de ter montado uma rede fraudulenta de renovação de cartas de condução, pedindo àqueles que o procuravam valores entre 50 e 600 euros por processo.

Entre as pessoas que terão recorrido aos serviços deste empresário encontra-se a motorista de um ATL em Aveiro, que precisava da renovação da carta para poder continuar a transportar crianças. Terá pago 180 euros pelos documentos falsos.

A notícia é do Jornal de Notícias (link para assinantes), que dá conta deste processo em decurso no Tribunal de Santa Maria da Feira. O empresário de 73 anos é acusado pelo Ministério Público por crimes de falsificação de documentos, atestados falsos e ainda usurpação de funções.

De acordo com a acusação do Ministério Público, à qual o Jornal de Notícias teve acesso, a empresa montada por Daniel B. chamava-se “Centro de Avaliação Médica e Psicológica de São Roque”. Além da sede em Oliveira de Azeméis, a empresa tinha ainda filiais em Albergaria-a-Velha e Aveiro. Em cada um dessas supostas clínicas, os clientes entregavam os documentos necessários para lhes ser renovada a carta de condução.

De maneira a conseguir um processo o mais autêntico possível, Daniel B. terá chegado a contratar duas psicólogas com o único objetivo de conseguir as vinhetas e certificados daquelas profissionais. Noutra ocasião, o próprio empresário fez-se passar por médico junto de um cliente, fazendo ele próprio o exame ao cliente.