“Como é que te sentes ao seres prostituída pela tua mãe por 500 dólares?” terá dito o grego Basil Doumas para Demi Moore depois de abusá-la sexualmente, na altura com 15 anos de idade. A sua identidade como alegado agressor da então jovem atriz foi revelada e, segundo o tablóide The Sun, era o dono do bar La Cage Aux Folles, em Los Angeles.

Basil era conhecido pela alcunha de Val Doumas, e morreu aos 68 anos, em 1997. Moore revelou recentemente, através da biografia sobre a sua vida “Inside Out”, que tinha sido abusada sexualmente aos 15 anos por um homem que terá pago 500 euros à mãe da atriz, Virginia King.

Doumas também era sócio do restaurante Mirabelle. Demi Moore e a sua mãe conheceram-no num outro restaurante através de um amigo no fim dos anos 1970. Então com 48 anos, Doumas era casado e tinha filhos.

“Chego a casa numa noite e encontro-me com um homem que conhecia, mas que tinha as chaves do apartamento”, disse Moore, em entrevista sobre o lançamento do livro. Doumas terá feito a transação de 500 euros logo depois à sua mãe Virginia King. No livro, a atriz afirma que o ato foi uma “violação e uma traição devastadora”.

King morreu em 1998, e os episódios polémicos da relação entre mãe e filha são diversos. Entre eles está uma primeira tentativa de suicídio da mãe da atriz, quando esta tinha 12 anos. “Lembro-me de usar os meus dedos, os dedos pequenos de uma criança, para tentar tirar os comprimidos da boca dela”, recordou Moore.

Quando foi questionada sobre a cumplicidade da sua mãe na agressão de Val Doumas, revelou que é “completamente possível”. Ao mesmo tempo, a estrela de “Ghost – Espírito do Amor” disse crer “do fundo do meu coração que não, mas ela deu acesso [a Doumas] e me colocou em perigo”.

Na década de 80, Demi Moore esteve pela primeira vez num centro de reabilitação para tratar da sua adição às drogas e ao álcool. A história repetiu-se quando, em 2012, colapsou ao fim de meses de festas e transtornos alimentares, numa altura em que tinha a carreira estagnada e estava uma vez mais solteira. Atualmente, a atriz de 58 anos fala abertamente pela primeira vez sobre o abuso que sofreu quando criança e agradece ao público pelo “apoio e amor que têm me dado”.