Mais de 100 milhões de euros de fundos europeus vão ser investidos no aumento da eficiência energética de empresas, autarquias, habitações sociais e Instituições Particulares de Solidariedade Social, anunciou esta quarta-feira o Governo.

São 24,5 milhões para empresas, 32,5 milhões de euros para Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), 19 milhões para edifícios da administração local e 25 milhões para edifícios de habitação social, totalizando cerca de 101 milhões de fundos europeus lançados a concurso”, lê-se numa nota conjunta dos gabinetes dos secretários de Estado do Desenvolvimento Regional, Maria do Céu Albuquerque, e da Energia, João Galamba.

No comunicado é referido que o financiamento será disponibilizado através dos Programas Operacionais Regionais do Portugal 2020 e distribuído por cinco regiões: Lisboa (33 milhões de euros), Centro (26 milhões), Norte (25 milhões), Alentejo (13 milhões) e Algarve (quatro milhões).

Segundo o executivo, os investimentos enquadram-se no Plano Nacional de Energia e Clima, “que promove a descarbonização da economia e a transição energética visando a neutralidade carbónica em 2050”.

Os apoios agora anunciados pelo Governo fazem parte de um total de 730 milhões de euros do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e do Fundo de Coesão destinados, no âmbito do Portugal 2020, à melhoria da eficiência energética em Portugal continental.

“Estes apoios podem destinar-se, no caso das empresas, à instalação de novas tecnologias mais eficientes, à substituição de frotas através da aquisição de veículos elétricos ou a gás natural ou à instalação de painéis solares e outras fontes de energia renovável. Nos edifícios públicos ou privados, podem destinar-se à instalação de isolamento térmico na envolvente de edifícios, à instalação de janelas com corte térmico ou a soluções de iluminação que impliquem poupança de energia”, é adiantado.