Depois do recente telefonema entre Angela Merkel, chanceler alemã, e Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, ter sido divulgado por fonte do número 10 de Downing Street, sede do Governo britânico, Michel Barnier deixou um aviso no Parlamento Europeu.

Esta quarta-feira, o principal negociador da Comissão Europeia para o Brexit afirmou: “No momento em que estamos agora, permaneceremos calmos, permaneceremos construtivos e respeitaremos o Reino Unido e aqueles que o lideram. Essa é a nossa abordagem e esperamos que, com essa atitude de ambos os lados, possamos chegar a um acordo que funcione para todos”.

Segundo o britânico The Guardian, esta foi uma espécie de reprimenda de Barnier ao primeiro-ministro, em resposta às as táticas agressivas do atual inquilino de Downing Street.

No telefonema de terça-feira de manhã, Merkel deixou claro que a possibilidade de haver um acordo para o Brexit é “imensamente improvável” e até “essencialmente impossível”. A fonte já citada adiantou ainda que a chamada entre os dois líderes foi “um momento muito útil e clarificador de todas as maneiras”, a qual terá deixado claro que “um acordo é essencialmente impossível não apenas agora mas em qualquer altura”.

As declarações de Barnier foram feitas numa audiência perante o Parlamento Europeu para informar o orgão do estado das negociações sobre o Brexit. O negociador-chefe da UE sublinhou que, mantendo-se tudo como está, a proprosta em cima da mesa não é aceitável para Bruxelas.

“A proprosta do governo britânico, como as coisas estão, não é algo que possamos aceitar. Substitui uma solução operacional, prática e legal [para a fronteira das Irlandas] por uma que é simplesmente temporária”, disse Barnier, referindo-se ao backstop.