Associações ambientalistas denunciaram esta sexta-feira a existência de poluição na Ribeira de Calva, um afluente do Rio Dão, alegadamente devido ao mau funcionamento de Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) e de fossas séticas do concelho de Nelas.

Em comunicado, a Quercus e a Associação Ambiente em Zonas Uraníferas (AZU) referem que, “apesar de estar já iniciada a construção de ETAR em Santar e em Moreira, a água nestes locais está a ser libertada na Ribeira de Calva sem tratamento”.

Existe uma fossa sética em Moreira de Baixo cujo mau funcionamento é visível a olho nu, com extravasamento das águas dos esgotos para os solos circundantes e para a Ribeira de Calva”, explicam, acrescentando que “o cheiro é nauseabundo e a água da ribeira está preta e nitidamente poluída”.

As associações referem-se ainda a uma outra fossa existente na aldeia de Pisão, que “também extravasa as suas águas contaminadas para os solos circundantes e para a Ribeira de Calva, originando o mesmo cenário de cheiros nauseabundos e águas poluídas”.

Segundo as associações, neste momento, na Ribeira de Calva, corre “água proveniente dos esgotos, sem a presença de água natural do curso de água”, um facto que “é revelador da gravidade da situação” que se vive. “As termas de S. Gemil e respetiva praia fluvial são diretamente afetadas pela poluição transportada por este afluente de Rio Dão”, acrescentam.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Câmara de Nelas, Borges da Silva, admitiu a existência de “não conformidades ambientais, mas que felizmente têm uma solução à vista a curto prazo”. O autarca avançou que, até ao final do ano, deverão ficar “em fase de arranque” seis ETAR que “estão praticamente construídas” em Lapa do Lobo, Aguieira/Carvalhal Redondo, Moreira, Casal Sancho, Santar e Vilar Seco, num investimento de 1,8 milhões de euros, financiando pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR).

Em Nelas, está a ser construída uma grande ETAR e sistema intercetor, que vai abranger toda a freguesia de Nelas, incluindo quer as duas zonas industriai – a 1 (na estrada para Mangualde) e a do Chão do Pisco -, quer as aldeia de Folhadal e Algeraz, quer todo o aglomerado urbano de Nelas”, explicou.